O Exercício no Controlo da Asma Brônquica


Um asmático deve seguir um programa de exercício adaptado à idade, bem como aos seus objectivos pessoais e desportivos, tal como no caso de um indivíduo saudável. No entanto, um indivíduo asmático deve procurar, ainda, que este programa de exercício se adapte às suas limitações funcionais respiratórias.


Alguns asmáticos têm receio de utilizar quaisquer tipos de medicação. Nestes casos, a prática de actividade física deve estar condicionada pela intensidade do esforço, de forma a que o nível de ventilação seja insuficiente para produzir broncoespasmo. A estes doentes aconselha-se um exercício contínuo e de baixa intensidade, como a marcha. A este tipo de doentes, relutantes em adoptar medidas farmacológicas pré-treino, também, se recomenda a natação, actividade à qual respondem bem, por ser praticada em condições de ar quente e húmido. Actividades desportivas de esforço intermitente, curta duração e alta intensidade, como o halterofilismo (em que a ventilação não atinge valores elevados), também têm uma boa resposta por parte dos doente mencionados.


No geral, com excepção das actividades subaquáticas, considera-se que os asmáticos podem e devem participar em praticamente todas as actividades desportivas desde que exista um controlo da doença e se institua, quando indicada, medicação preventiva pré-exercicio.


Medidas preventivas não farmacológicas pré-treino são, também, aconselháveis. Salienta-se, assim, o aquecimento pé-treino e competição, uma correcta hidratação, a utilização de máscaras faciais e evitar treinar ao ar livre com temperaturas muito baixas ou quando a concentração de pólens e os níveis de poluição forem elevados.